Uma profunda oração

As aparições da Virgem Maria aos pastorinhos de Fátima, no ano de 1917, constituem um acontecimento muito marcante para a Igreja e para a humanidade em geral. A Mãe de Jesus vem ao encontro de uma humanidade caótica e afastada de Deus, que enfrenta os horrores da Primeira Guerra Mundial, mostrando assim, que caminha conosco nos rumos da história. Escolhe três simples crianças, e lhes confia uma mensagem urgente, mas alicerçada na esperança. Traz um apelo à conversão, à penitência e à luta contra o Mal, garantindo o triunfo por meio do seu Imaculado Coração. Repetidamente, a Virgem Maria nos exorta à oração do Rosário na busca da paz e da salvação eterna. Diante de um pedido tão contundente, vamos refletir sobre a importância do Rosário em nossa espiritualidade e sobre como o Senhor utiliza desse instrumento para agir em nossa realidade, conforme a mensagem de Fátima nos indica.

O Rosário, ou uma parte do mesmo (o Terço) é, ao mesmo tempo, oração vocal e mental. Juntamente com a recitação dos Pai-Nossos e das Ave-Marias, devemos meditar os mistérios que nos são propostos. Segundo o Compêndio do Catecismo, “A meditação é uma reflexão orante. Mobiliza a inteligência, a imaginação, a emoção, o desejo, para aprofundar a nossa fé, suscitar a conversão do nosso coração e fortalecer a nossa vontade de seguir a Cristo.”

Exaltado por tantos santos, papas e muitas pessoas, somado às promessas e graças a ele associadas, o Santo Rosário mostra-se como uma devoção poderosa e de ímpar relevância. Diante dessa grandeza, é muito interessante notar que o Rosário também caracteriza-se por sua simplicidade. As orações que o compõem são facilmente aprendidas e conhecidas, que são contadas com um tercinho, ou até nos dedos das mãos. Os mais humildes sempre se apegaram ao Rosário, como os três pastorinhos, pobres, analfabetos, mas que encontravam entre as contas de cada dia a força e a sabedoria que vem do alto.

 “Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos.”

Mt 11,25

Por essa simplicidade, o Rosário torna-se uma prática acessível em meios aos afazeres cotidianos. Desse modo, os mistérios da vida de Cristo permeiam as nossas atividades rotineiras, dando a nossa vida um sentido divino. Nas contemplações dos mistérios, vê-se o desenrolar do plano maravilhoso de Deus para a humanidade, juntamente com as mais valiosas lições de virtudes de Jesus e Maria. O Rosário torna-se um meio eficaz de renovação de nossas realidades, mesmo as mais simples, se configuradas com as de Cristo e de sua Santa Mãe. A mensagem de Fátima nos pede: “rezai o terço todos os dias”.

Os mistérios do Rosário dividem-se em quatro: gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos. É verdadeiramente a síntese do Evangelho, abrange os diversos momentos dos passos de Jesus, no mistério da salvação. Todos os dias podemos mergulhar, por alguns minutos, na alegria do Natal, no drama da Semana Santa, na vitória da Páscoa ou no milagre de Pentecostes. Temos, por meio do Rosário, como que o Ano Litúrgico inteiro todos os dias do ano.

Em relação à dimensão vocal, as Ave-Marias são constantemente recitadas, tornando-se como que inúmeras rosas depositadas aos pés daquela que é nossa Mãe e Mestra, reconhecendo assim, que Nossa Senhora se faz presente em nossas vidas. A Virgem Maria está intimamente e especialmente associada à vida do Senhor, desde a Anunciação até a sua Coroação na eternidade. Por isso, Ela nos associa como ninguém aos mistérios de Jesus, bem como intercede poderosamente por nós junto ao Rei dos Reis, que pode chamar de “meu filho”. Pelo Rosário, colocamos nas mãos da Mãe nossas alegrias, dificuldades, medos, trabalhos, planos…e a Mãe, por sua vez, conduz os nossos corações para o ideal de nossa existência, Jesus Cristo, que por sua vida, dá um novo sentido à nossa história.

Não há problema material ou espiritual, pessoal ou familiar, nacional ou internacional que a reza do Terço não possa ajudar a resolver”

Irmã Lúcia, uma dos 3 pastorinhos de Fátima

Como é bom contar com uma súplica tão poderosa junto de Deus em meio a tantos desafios de nossos dias, a começar pela nossa conversão interior. Pelo Rosário, alcançamos bênçãos, proteção, conversões e santificação. O céu se abre e derrama generosamente muitas graças para a humanidade, tantas vezes ferida e amedrontada. Recorramos sempre à nossa querida Mãe, por meio do Santo Rosário, para caminharmos com Ela todos os dias rumo a vida eterna, ao triunfo final e definitivo de Deus. Assim nos ensina São Pio de Pietrelcina: “vá à Virgem Maria. Ame-a! Sempre recite o Rosário. Reze-o bem. Reze-o sempre que puder! Tenha alma de oração. Não se canse de orar, é o essencial. A oração abala o Coração de Deus, obtém graças necessárias” .